Conheça a Amazônia

Conheça o Amazonas, Conheça Manaus!


O nome Manaus é uma referência aos índios manaós, que habitavam o local. Manaus foi uma das primeiras cidades brasileiras a contar com infra-estrutura urbana desde luz elétrica, galerias pluviais, tratamento de águas e esgotos, serviço de bondes elétricos, inaugurou a primeira Universidade, em 1909, até prédios luxuosos que reproduziam estilos de arquitetura Européia, toda essa construção foi financiada pela riqueza gerada pela exportação da borracha no final do século XIX.

Hoje, turistas do mundo inteiro são atraídos pela exuberância da Floresta Amazônica, com um ecossistema que abriga uma das maiores biodiversidades do planeta. A região conta com hotéis de selva que possibilitam ao visitante conhecer toda a diversidade da mata tropical intocada. Manaus oferece passeios variados, como o que leva os turistas ao encontro das águas dos Rios Negro e Solimões.

No contexto brasileiro por sua riqueza natural e cultural a Amazônia emerge como umas das regiões prioritárias para as conservações de recursos naturais e a construção de modelos de desenvolvimento capazes de valorizar e proteger a base natural, resgatar e preservar o patrimônio cultural e assegurar benefícios às populações locais. Sob esse enfoque, o ecoturismo é reconhecido como importante alternativa para o desenvolvimento regional.

Estimativas recentes apontam que a região abriga cerca de 2,5 milhões de especies de insetos, dezenas de milhares de especies de plantas vasculares, cerca de 2 mil especies de peixes, além de 950 especies de pássaros e 200 especies de mamíferos.

No Amazonas a beleza e a diversidade de paisagens naturais são diferentes de região para região, exercendo fascínio sobre o imaginário global.A riqueza de seu patrimônio natural e cultural credencia o Estado para a pratica do ecoturismo, confirmando sua vocação para o desenvolvimento dessa atividade.

Fonte: Governo do Estado do Amazonas


 

Mapa

Amazônia Ocidental

A Amazônia Ocidental é composta pelos Estados do Acre, Rondônia, Amazonas e Roraima, cujas as capitais são Rio Branco, Porto Velho, Manaus e Boa Vista, respectivamente.

Muitas espécies desta região são conhecidos em todo o mundo, tais como borracha natural, castanha, guaraná, açaí e cupuaçu. Outras espécies, destinados principalmente à alimentação e uso medicinal e para a produção de combustíveis, são desenvolvidas. Os recursos minerais também são abundantes na região e são representados por grandes reservas de petróleo e gás de petróleo; lata; calcário; silvinita; caulino; argila; nióbio; tântalo; e agregados para construção (brita, areia e granito, entre outros).

 

Desbrave a beleza selvagem da Amazônia


Um grande mosaico de paisagens variadas, que vão desde floresta fechada a savanas, passando por terrenos alagados, cerrados, pântanos e manguezais. Esta é a Amazônia, um dos maiores patrimônios naturais da humanidade. A região, que se espalha por 6,6 milhões de km2 abrangendo nove países sul-americanos, oferece uma variedade imensa de ecossistemas, paisagens e atrações para seus visitantes, mas ainda permanece desconhecida pelos turistas – especialmente os brasileiros.

Tudo na Amazônia é grandioso. Ela tem a maior floresta tropical do mundo, a Floresta Amazônica com mais de 6 milhões de km2 dentro de seu território, ocupando os Estados do Amazonas, Acre, Amapá, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins, Mato Grosso e oeste do Maranhão. Também possui o maior rio do mundo, o Rio Amazonas, com 6.850 km, e a maior bacia hidrográfica do planeta, a Bacia Amazônica, com 3.984.467 km2. A maior montanha do Brasil, o Pico da Neblina, com 2.993 metros, também está lá. E é lá que se encontra a maior biodiversidade da Terra, centenas de milhares de espécies de plantas e animais cujo número exato ninguém sabe ao certo.

Dos mais de 6 milhões km2 de floresta, 65% pertencem ao Brasil – o equivalente a mais de 4 milhões km2. Esse grande pedaço do território nacional recebe duas referenciações distintas.

Uma é o bioma Amazônia, uma definição ecológica que abrange as áreas de formação florestal e seus ecossistemas associados, e possui 4,2 milhões de km². A outra é a Amazônia Legal, uma região política que abrange os sete Estados do Norte (Amazonas, Pará, Roraima, Amapá, Acre, Rondônia e Tocantins), mais Mato Grosso e metade do Maranhão, e possui mais de 5 milhões de km².


Ecoturismo


Apesar de toda sua beleza e grandiosidade, a Amazônia continua desconhecida pelos turistas, nacionais e internacionais. Na Amazônia brasileira, o ecoturismo é praticado de forma esporádica e se limita a hotéis na selva e a algumas excursões por rios ao redor da cidade de Manaus e no norte do Estado do Mato Grosso. A maior parte de toda a Amazônia, no entanto, ainda espera para ser desbravada.

São várias as razões para que o turismo seja pequeno na região. Dificuldade de acesso, falta de recursos de algumas localidades, e até mesmo medo de doenças tropicais como a malária são fatores constantemente citados pelos turistas que não visitam o local. Outro fator é a preservação – alguns conservacionistas acreditam que o turismo pode ser prejudicial à região. Esta visão começou a mudar apenas recentemente, quando governo, população e ecologistas perceberam que o turismo, ao contrário do que antes se acreditava, pode ser uma excelente alternativa para preservar toda a riqueza natural da Amazônia.

O desmatamento já afetou grandes áreas da Amazônia, tendo consumido mais de 17% de seu território (cerca de 700 mil km²). As áreas protegidas são poucas e não dispõem de pessoal suficiente para fornecer proteção e cuidar da gestão de maneira adequada. Como em outras partes do mundo, o turismo – em especial o ecoturismo – está sendo visto como uma forma de os moradores locais ganharem seu sustento com áreas naturais deixadas intatas. Nesse sentido, o turismo surge como uma alternativa para o desenvolvimento sustentável da Amazônia, pois, se bem planejado, é capaz de minimizar os impactos ambientais, além de apresentar um potencial multiplicador significativo, em termos de geração de emprego e renda.

Por essas razões, os governos federal e estadual estão fazendo um esforço conjunto para estimular o turismo e o ecoturismo na região, como forma de não apenas gerar renda aos moradores, mas divulgar o local e incentivar a preservação desse valioso patrimônio natural. O projeto, que tem o nome de Proecotur, incluirá estudos de locais selecionados para o ecoturismo, avaliação da demanda de mercado, criação de um quadro normativo, programas de treinamento e investimentos locais. Os estudos proporcionarão a base para um projeto muito maior a ser lançado em futuro próximo. Estimulando, assim, o turismo, será conseqüentemente estimulado o desenvolvimento e a preservação da região, uma das mais lindas e importantes do planeta. Tanto turistas como a Amazônia ganham com isso.